MIL POEMAS DE POETA ALGUM!

December 11, 2018

 

Quantos poemas um sujeito precisa ter escrito para ser considerado poeta ou escritor?

Para responder esta pergunta são necessárias algumas considerações, a saber, o que é um poema, e verificar se as qualidades do poema estão na maioria dos poemas escritos pelo sujeito; saber o que é escrever, porque um elefante pode escrever por instinto ou impulso ou adestramento, um infante pode escrever por acidente e nem um nem outro poderá ser considerado escritor; e verificar ainda o que é ser um escritor.

“Um poema é um gênero textual dividido em estrofes e versos. Cada estrofe é constituída por versos (não tendo um número exato) introduzidos pelo sentido das frases - e mais raramente em conversa - em que a poesia, forma de expressão estética através da língua, geralmente se manifesta. Além dos versos, não obrigatoriamente, fazem parte da estrutura do poema as estrofes, a rima e a métrica.

Conforme a disposição dos versos e dos outros elementos estruturais, os poemas podem receber classificações ou nomes específicos (ou ser considerados gêneros literários próprios), tais como, haikai, poema-colagem, soneto, poema-dramático, poema-figurado, epopeia, etc.

Fortemente relacionado com a música, beleza e arte, o poema tem as suas raízes históricas nas letras de acompanhamento de peças musicais. Até a Idade Média, os poemas eram cantados. Só depois o texto foi separado do acompanhamento musical. Tal como na música, o ritmo tem uma grande importância.

Diferencia-se poema, gênero textual em verso em que na maioria das vezes há poesia, de poesia, que são frases que emocionam, tocam a sensibilidade e sugerem emoções por meio de uma linguagem.

Na Grécia Antiga, o poema foi a forma predominante de literatura. Os três gêneros (lírico, dramático e épico) eram escritos em forma de poesia. A narrativa, entretanto, foi tomando importância, ficando a poesia mais relacionada com o gênero lírico.

A poesia tinha uma forma fixa: seus versos eram metrificados, isto é, observavam os acentos, a contagem silábica, o ritmo e as rimas. A contagem silábica dos versos foi sempre muito valorizada até o início do século XX. Quando a obra que não se encaixasse nas normas de metrificação não era considerada poesia. Isto mudou com a influência do Modernismo, movimento cultural surgido na Europa que buscava ruptura com o classicismo. Atualmente o ritmo dos versos foi liberado e temos os chamados "versos livres" que não seguem nenhuma métrica.”

O poema tem suas personagens, que permitem supor não necessariamente representarem a verdadeira face do poeta (ou do escritor). De modo que, se há personagens, narração, conflitos internos, etc., podemos dizer que o poema é ficção – assim como o conto, a novela, o romance, etc.

Na terceira acepção do verbete “escrever” do dicionário Michaelis, temos que escrever “é compor ou redigir um trabalho literário ou científico, artigo jornalístico, etc.”.

No dicionário Houaiss, há quinze significados para o verbete escrever; no terceiro deles, ele diz que “escrever é compor trabalho literário, científico, etc.”. E no décimo quarto, ele diz: “escrever é exercer o ofício de escritor (arte)”

De tal sorte que se um sujeito escrever um poema ficcional considerado de ‘boa’ qualidade pela crítica literária comprometida com as funções reais da literatura, poderá ser tido por escritor; em contrapartida, se um sujeito escrever mil poemas de uma qualidade que avilte o gênero, poderá não ser considerado escritor pela mesma crítica, mas apenas um sujeito que escreve.

23/07/2018

Please reload

Our Recent Posts

O GRANDE POETA EM NOME DA VIDA!

November 4, 2019

VILÃS E VILÕES!

October 23, 2019

Arthur de Lacerda e a Civilização Desnuda

September 1, 2019

1/1
Please reload

Tags

Please reload

 

©2018 by Pedra de Toque. Proudly created with Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now