O QUE VEM LÁ!

December 11, 2018

 

Preocupante o que breve teremos traduzido para a língua portuguesa: a biografia do pai da psicanálise, Sigmund Freud, “escrita” por Frederick Crews: The Making of an Illusion.

Preocupante esperar, como faz o autor, que alguém não pense primeiro que tudo em si mesmo antes de pôr a mão numa pena, como fazia Freud.

Preocupante esperar que os conceitos não sejam derivados de pré-conceitos e a partir deles depurados e aperfeiçoados ad infinitum, como fazia Freud.

Preocupante que um professor estadunidense considere infiel alguém, como Freud, que, em meio à convulsão da Segunda Guerra Mundial, recebeu de bom grado a acolhida no exílio, e, até o fim da vida lutou fielmente pela vida humana, e pela própria!

Preocupante que alguém, como Freud, a lidar com um aparelho totalmente danificado seja considerado “charlatão”, apenas porque, a exemplo do que se faz em tecnologia hoje em dia, agia por tentativa e erro, a fim de colher minimamente “bons” resultados na operação desse mesmo aparelho monumental, que é o humano.

Ao se aproximar com elogios para depois abandonar com desprezo, Freud é tido por “fraude”, pelo autor, mesmo que nisto estivesse apenas fazendo um jogo de espelhos com as sociedades socrático-platônico-cristãs.

Preocupante que alguém com a pena na mão ainda espere prodígios, milagres e, quiçá, a crucifixão de alguém que está apenas curando, a saber, preservando e tratando com métodos especiais, como Freud faz.

Eis o prenúncio das absurdidades, feito pelo mestre em psicologia, Stefano Pupe, juntamente com Gabriel Centurion, artista plástico, através de artigo no jornal Folha de São Paulo, datado de 25 de fevereiro de 2018.

Veja, você, e calcule o tempo em que breve será traduzido em vernáculo, propagado no Brasil, vendido aos zilhões, imiscuído nas políticas públicas em benefício do autor que está pensando em si, projetando sua própria conduta ou sexualidade, contando com um recanto no reino dos céus.

Com o prejuízo de muitos operários da psicologia, que sequer ousarão ouvir um ficcionista insensato, para a condução de seus trabalhos. Pelo menos, não eles, os psicólogos. Não o psicólogo!

Afora o prejuízo de muita gente saudável que busca na psicanálise a grande saúde – e encontra – como encontrará depois que aquela biografia cair em desuso! Esperemos que seja breve todo esse processo de bestialização!

O Pedra de Toque não visa a polemizar nem alarmar seus leitores, porém, a matéria é emergente diante de como vimos lidando no Brasil com a loucura. O livro haverá de ser lido com luvas – ou os evangelhos bastarão.

03/04/2018

Please reload

Our Recent Posts

O GRANDE POETA EM NOME DA VIDA!

November 4, 2019

VILÃS E VILÕES!

October 23, 2019

Arthur de Lacerda e a Civilização Desnuda

September 1, 2019

1/1
Please reload

Tags

Please reload

 

©2018 by Pedra de Toque. Proudly created with Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now